86. Impermeável Coração

 
A apreensão materna quase me levou ao desespero, até que entreguei os pontos. Nada me restava fazer, exceto esperar. Num derradeiro grito de alerta, escrevi esse poema. Acabei me descobrindo a própria filha carente de um coração disposto a obedecer. A alma sensível de um pai embalou o conselho: o Rubem fez a música.

Sobre esta música

Impermeável coração;

Não sabe dizer sim, nem não.

Se tem ouvidos para ouvir,

Prefere surdo prosseguir.


Inconseqüente coração;

Não sabe nada e vive louco.

Abraça o vento da ilusão

E tanto corre por tão pouco.


Onde estiver o seu amor,

Aí estará o seu senhor.

Por isso, guarde o coração

Do mal que é só escravidão.


O doce som a confundir;

Engana a alma que o sentir.

Acha que pode resistir,

Mas cai na mão que quer ferir.


Volte pro Pai, ó coração;

O que ele tem é pra lhe dar!

Encontre nele o seu perdão

E seja livre para amar.

Autor Letra: Delis Ortiz
Autor Música: Rubem Amorese
Intérprete: Toninho Zemuner (Solo)

Produção e participações
Produção: Toninho Zemuner


  OUÇA/BAIXE  

  CIFRA

  playback 





links para outras páginas
Impermeável, cantada pelo Rubem86.Impermeavel_files/ImpermeavelR.mp386.Impermeavel_files/ImpermeavelT.mp386.Impermeavel_files/Impermeavel.pdf86.Impermeavel_files/Impermeavel%20Coracao%20Pb.mp3shapeimage_3_link_0