79. Filhos da Alma

 
Precisamos de pais que nos ajudem a velar por nossos filhos, sejam eles de sangue sejam espiritualmente adotados. Lutando para vencer minhas muitas deficiências, tenho tentado essa segunda etapa de paternidade: ser pai (e filho) desses irmãos que se achegam como “filhos da alma”. Eis minha oração.

Sobre esta música

Já não te peço pelos filhos que me deste,

Pois em tuas mãos os entreguei.

Desses cuidei, seguindo a lei que propuseste

(Com tantas falhas que nem sei).

Peço-te, agora, pelos filhos da minh'alma,

Que se achegaram por amor,

Destes não sei como cuidar, mesmo com calma,

Sê tu, ó Pai, nosso pastor.


Sê pai dos pais, ó meu Senhor,

Ensina o ensino e a mansidão;

Faze dessa sina e solidão,

Tempo de vida, canto e flor;

Toma esses pais em tuas mãos,

E dá-lhes força e destemor.

Sim, pobres pais sempre serão,

Mas que transbordem teu amor.


Já não te peço pelos netos que virão,

Pois cuidarás deles também.

O meu futuro deixo-o todo em tuas mãos,

E os que virão, um dia, além.

Os filhos da alma, estes trago ao teu altar,

Pois compartilho a sua dor,

Os que me deste, de alma ou sangue, quero amar

E lhes falar do teu amor.

Autor Letra: Rubem Amorese
Autor Música: Rubem Amorese
Intérprete: Toninho Zemuner (solo)

Produção e participações
Produção: Toninho Zemuner


  OUÇA/BAIXE   

  CIFRA

  playback 

79.FilhosAlma_files/FilhosAlma.mp379.FilhosAlma_files/FilhosAlma.pdf79.FilhosAlma_files/Filhos%20da%20Alma%20Pb.mp3