76. Jerusalém, Jerusalém!

 
Há momentos em que um pastor se vê em situação parecida com a de Jesus: tentando, por todo modo, atrair seus filhos para um caminho melhor, sem sucesso. Parece que seus pés estão sempre voltados para o mundo, para o pecado e para a carne. Nessas horas, esse pastor chora como Jesus e, certamente, ora também por si mesmo, pois sabe que o estar de pé requer humildade e vigilância.

Sobre esta música

Jerusalém, Jerusalém!

Por que tantas desfeitas?

Por que tanto rejeitas

Quem só quer o teu bem?


Quanto eu quis, sob as asas,

Qual galinha aos pintinhos,

Recolher de tuas casas

E salvar teus filhinhos!


Jerusalém, Jerusalém!

Como tenho te amado!

Quis andar ao teu lado,

Te fazer tanto bem!


Quanto eu quis, sob as asas,

Qual galinha aos pintinhos,

Recolher de tuas casas

E salvar teus filhinhos!


Jerusalém, Jerusalém!

Voltarei novamente;

Me dirás diferente:

"É bendito o que vem".


Minha amada Salém,

Deixa o orgulho falaz;

Te ofereço minha paz

E a teus filhos também.

Jerusalém, Jerusalém! Jerusalém.

Autor Letra: Rubem Amorese
Autor Música: Rubem Amorese
Intérprete: Toninho Zemuner

Produção e participações
Produção: Toninho Zemuner


  OUÇA/BAIXE     

  CIFRA

  playback 



76.Jerusalem_files/Jerusalem.mp376.Jerusalem_files/Jerusalem.pdf76.Jerusalem_files/Jerusalem%20Pb.mp3