68. Meribá

 
Houve um momento na vida da IPP em que o sentimento de deserto era muito forte, em toda a liderança. Mas não havia como voltar atrás. Restava invocar o Senhor e seguir em frente. 
A foto ao lado é de Massá, e a rocha de Meribá.

Sobre esta música

Nestes tempos de sequidão,

Sol tão forte, tão quente o chão,

Vou andando sem saber se chego lá ou não.


Onde estava, além, havia pão,

Mas comida ali era opressão;

É melhor morrer aqui do que na escravidão.


Hoje eu olho atrás, o que passou;

Tantos feitos, vê, daquele "Eu Sou";

Mas por que, então, meu Deus, não chega este Jordão?!


Neste tempo vil de provação,

De incertezas mil e confusão,

Não te afastes, viu, Senhor! Não largue a minha mão.

Autor Letra: Rubem Amorese
Autor Música: Rubem Amorese
Intérprete: Toninho Zemuner (solo)

Produção e participações
Produção: Toninho Zemuner

  OUÇA/BAIXE  

  CIFRA

  playback 


 VÍDEO


68.Meriba_files/Meriba.mp368.Meriba_files/Meriba.pdf68.Meriba_files/Meriba%20Pb.mp3http://br.youtube.com/watch?v=FV01YnWTn-U