150. Intimidade

 
Bem, falemos de intimidade com Deus. Falemos de joelhos dobrados, de rosto no chão. Falemos de vigílias, de madrugadas, de altares, de orações de ‘graça e bênção’; falemos de busca, de esperança que espera. Falemos, então, de confissão, de comunhão, de rendição e de gratidão. Essas coisas fazem parte da nossa vida, da nossa história, da nossa herança. Essas coisas nos definem, nos dizem a nós mesmos quem somos. 
À Kelen, nossa gratidão, encantada. Nossa! (que mais podemos dizer?)
Letra: Rubem Amorese
Música: Toninho Zemuner
Intérprete: Kelen Franco

Produção e participações
Produção: Toninho Zemuner
Guitarra: Lukinhas Carvalho da Banda Daros


 OUÇA/BAIXE            

  CIFRA

  playback 

150.Intimidade_files/Intimidade.mp3150.Intimidade_files/Intimidade.pdf150.Intimidade_files/Intimidade-PB.mp3

Sobre esta música

Tudo em tua mão

Quero colocar;

Gesto de entrega,

Gesto de confissão.


Tens meu coração

Sobre o teu altar;

Gesto que alegra,

Gesto de comunhão.


Na madrugada eu te busquei;

Em tua casa eu te invoquei.

Quis teu favor;

Quem sabe, amor...

E intimidade eu encontrei!


Em teu coração

Venho descansar

Gesto sem regra,

Gesto de rendição.


Graça e salvação,

Quero celebrar,

Gesto que integra,

Gesto de gratidão.