133. Filho Pródigo

 
Esta letra foi feita no Carnaval de 2010. Fala de um folião, com poderes de rei momo, que luta por encontrar (por decreto) alegria e felicidade nesses quatro dias. Mas como esquecer que a quarta-feira vai chegar? 
Associo a essa cena a imagem do filho pródigo, que, aos poucos, vai se desiludindo das farras, vai percebendo a presença dos porcos e começa a se lembrar da segurança e do amor singelo da casa do pai, em comparação à alegria ilusória que agora tem. 
Chega o momento em que ele  atina com seu real estado de penúria, arrepende-se e decide voltar.
Autor Letra: Rubem Amorese
Autor Música: Toninho Zemuner
Intérprete: Toninho Zemuner

Produção e participações
Violão: Toninho Zemuner
Bateria: Nelsinho Jota
Produção: Toninho Zemuner

 OUÇA/BAIXE            

  CIFRA

  playback  

  garagem

133.FilhoProdigo_files/Filho_Prodigo.mp3133.FilhoProdigo_files/Filho_Prodigo.pdf133.FilhoProdigo_files/Filho_Prodigo-PB.mp3133.FilhoProdigo_files/Filho_Prodigo-G.mp3

Sobre esta música

Felicidade eu decretei.

Ansiedade é contra a lei, viu?

E a alegria vai reinar, viu?

Mas, se a folia se acabar,

E a quarta, enfim, chegar...

Chegar?


Felicidade se perdeu.

E a alegria, que era eu, viu?

Deste palhaço triste quem riu?

Será que o meu reinado é assim,

Enfim, desilusão...

Será?


Lembro da casa do meu pai,

Lugar da paz que não se esvai;

Enredo de alegria,

Dança sem fantasia,

Folia santa, sem fim.


Deste reinado eu me cansei;

À antiga vida eu voltarei.

Chega de falsidade,

Quero a felicidade,

Luz de verdade, meu Rei!

Novo samba eu vou sambar, hem,

Aqui não vou ficar, não,

Pra casa eu vou voltar.