118. Arpoador

 
Autor Letra: Rubem Amorese
Autor Música: Toninho Zemuner
Intérprete: Jader Botelho (Jajá)

Produção e participações
Produção: Toninho Zemuner

 OUÇA/BAIXE            

  cifra

  playback 


 VÍDEO


  garagem







118.Arpoador_files/Arpoador.mp3118.Arpoador_files/Arpoador.pdf118.Arpoador_files/ArpoadorPB.mp3http://www.youtube.com/watch?v=Vkppw2XhUGc118.Arpoador_files/Arpoador_1.mp3
Mais uma vez, a música veio primeiro; depois a letra. O jeito meio “caymmi” da música lembra o vai-e-vem das ondas do mar na praia. Pensei, então, no Arpoador, ao entardecer, com algumas pessoas ainda fazendo surf, outras caminhando. Contra essa bela e pacífica paisagem, contrasto a solidão de alguém que sabe que precisa voltar para  o Senhor. E não consegue calar a voz de seu coração que sonha com esse dia. Agradecemos ao Jajá pela canja que nos dá. Ficou linda. E tem vídeo no YouTube.

Sobre esta música

Entardecer no Arpoador;

Gente a correr por onde eu for.

Se eu perder um só minuto, já não desfruto

O riso que escondeu a dor.


A lua imensa acende o mar;

Gente bonita a caminhar.

Se eu parar um só minuto, eu sei que escuto

O grito que não quer calar.


    Quero demonstrar descontração;

    O dia foi tão cheio, eu quero um bar.

    Convido pra cantar,

    Lembrar uma canção;

    Preciso me esquecer que estou tão

    Longe dele — do teu coração.


A lua imensa a me lembrar;

Um dia desses vou voltar...