115. Razão Pra Cantar

 
Muitas vezes nos encontramos em situação de temor, tribulação ou lutas, e, cansados e abatidos,  perguntamos à nossa alma se há alguma razão para louvar a Deus; se há um só motivo para cantar. Nesse momento, eu me lembro do salmista, a conversar com sua própria alma: “Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu.” Essa conversa íntima aparece três vezes nos salmos 42 e 43. Tento imitar o salmista, tanto ao fazer a pergunta quanto ao dar a resposta. 
Aí está uma cantiga para ser cantada no vale do cansaço. Um canto doxológico, afirmativo; um canto que provém da fé. Dedico-a ao meu amigo Ricardo Barbosa.
Autor Letra: Rubem Amorese
Autor Música: Rubem Amorese
Intérprete: Toninho Zemuner

Produção e participações
Produção: Toninho Zemuner

 OUÇA/BAIXE            

  cifra

  playback 

  garagem115.RazaoCantar_files/RazaoCantar.mp3115.RazaoCantar_files/RazaoCantar.pdf115.RazaoCantar_files/Razao%20pra%20Cantar%20PB.mp3file://localhost/Salmo139.mp3

Sobre esta música

Onde houver um coração, sim, onde houver temor;

Se existir uma canção, que seja ao seu Senhor.

Se a alegria quer falar do Seu imenso amor;

Não iria, então, cantar-lhe, mesmo em meio à dor?


Mas se houver tribulação, ou luta ou dissabor;

Lá estará meu coração, bem firme em seu amor;

Lá estará meu coração, bem firme em seu amor.


Onde houver uma razão, só uma, pra cantar,

Acharás meu coração, disposto a te adorar.

Se surgir, então, um canto ou hino ao teu amor;

Não iria, sem espanto, dar-te o meu louvor?


Onde houver, porém, um pranto, ou medo ou desamor;

Não iria, no entanto, dar-te o meu louvor?

Não iria, no entanto, dar-te o meu louvor?


Onde houver uma razão, só uma, pra cantar...